MINI CURSO 5

MINI CURSO 5. NARRATIVAS VISUAIS, ROTEIRO, EXPOGRAFIA NA PERSPECTIVA DA RESTITUIÇÃO

 

Coordinadores: Fabiela Bigossi (fabiela_b@yahoo.com.br) y Fabrício Barreto fabriciobarreto@gmail.com[1]. Rumi Regina Kubo[2] rumikubo2002@yahoo.com.br.

O tema central deste minicurso está na reflexão sobre a restituição na construção de etnografias, o que abarca dimensões fundantes da própria antropologia como disciplina, ou seja, a reciprocidade e o compromisso ético. O minicurso visa refletir, a partir do campo da antropologia visual, sobre a transversalidade da questão da restituição nas diversas etapas da prática etnográfica. Do trabalho de campo ao projeto expográfico, propõe-se apresentação de seminários e exercícios práticos, a partir do qual, buscar-se-á travar um debate sobre o processo de captação fotográfica na prática etnográfica, a construção de narrativas, a partilha da escrita etnográfica e as formas de devolutiva, pautadas pela noção de restituição. Neste contexto, são tensionados, além do processo de inserção em campo e o compromisso ético do antropólogo, temas como a construção de significados diante da expectativa do outro, as formas de compartilhamento sensível, o fazer antropológico e o compromisso político do antropólogo, as diferentes formas de constituir a escrita etnográfica, a circulação e recepção do trabalho antropológico, formas de construção e constituição das devolutivas e a interlocução entre arte e antropologia. De forma mais abrangente, visa dar conta da compreensão da imagem em diferentes aspectos que possam contribuir para o fazer etnográfico, permitindo aos participantes do minicurso a aproximação com diferentes aspectos e problemáticas da utilização, apresentação e circulação da imagem na sociedade, seja através de instituições, experiências comunitárias diversas ou relação interpessoal e intersubjetiva entre os sujeitos envolvidos na pesquisa antropológica, que evidenciam a transformação, sobretudo, pela facilidade de acesso, e os usos da imagem na contemporaneidade.

Palavras-chave: restituição, narrativa, fotografia, expografia, etnografia

Público: estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, docentes e público em geral. Vagas: 20 Trazer dispositivo de captação de imagem, com resolução que permita uma impressão de qualidade. Infraestrutura necessária: datashow, computador, papeis grandes e canetas

Objetivo: Refletir sobre a restituição no âmbito das construções etnográficas a partir de exercícios que propõem diferentes formas de socialização das imagens.

Programa:

A partir da proposição de exercícios práticos de construção de narrativas e de composição de um projeto expográfico, refletir em torno da construção de narrativas e seus possíveis desdobramentos no âmbito da noção de restituição. Realização de debates, os quais têm como objetivo dar conta da compreensão da imagem em diferentes aspectos que possam contribuir para o fazer etnográfico, permitindo aos participantes do minicurso a aproximação com diferentes aspectos e problemáticas da utilização da imagem na contemporaneidade.

 

Encontro 1: (lunes 30/11/15) Horario: 8:30 a 12:30

 

Apresentação da proposta geral da oficina e estabelecimento de acordos e breve apresentação de todos os participantes;

O Núcleo de Antropologia Visual (Navisual) e Banco de Imagens e Efeitos Visuais (Biev), de Porto Alegre, Brasil: relato das atividades com ênfase no tema da restituição.

Os aspectos técnicos no horizonte de uma etnografia com imagens: os dispositivos de captura, equipamentos e sua preparação, enquadramento, composição, roteiro, o planejamento das locações.

O processo de construção de uma narrativa visual e a pratica antropológica: um exercício de construção de narrativas visuais a partir de coleções do acervo do NAVISUAL e apresentação.

Encontro 2: (lunes 30/11/15) Horario: 13:30 a 17:30

 

As interações entre restituição e expografia e a prática antropológica: a partilha das imagens da constituição a recepção; os limites, as potencialidades reflexivas no processo de construção da etnografia.

Saída de campo para desenvolvimento de projetos.

O planejamento da expografia: da curadoria compartilhada aos materiais e suportes variados, a escolha do local, a apresentação da proposta.

Encontro 3: (martes 1/12/15) Horario: 8:30 a 12:30

Apresentação dos projetos expográficos, comentários e debate com todos os participantes;

As propostas contemporâneas artistico-antropológicas de expografia: um diálogo entre antropologia e artes.

[1]           Núcleo de Antropologia Visual (Navisual), Galeria Olho Nu e Banco de Imagens de Imagens e Efeitos Visuais (Biev), Programa de Pós-graduação em Antropologia, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

[2]           Departamento de Ciências Econômicas e Relações Internacionais (DERI) e Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural (PGDR), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)