DETALLE GRUPO DE TRABAJO 60

GT 60. SENSIBILIDADES JURÍDICAS Y SENTIDOS DE JUSTICIA EN LA CONTEMPORANEIDAD: UN DIÁLOGO ENTRE LA ANTROPOLOGÍA Y EL DERECHO

Coordinadores:

Dra. Carla Villalta (UBA/CONICET- EAPyJ- INCT-InEAC); carla-villalta@hotmail.com

Dr. Juan Pablo Matta (UNICEN- GESC-INCT-InEAC); juanpablomatta@gmail.com

Dra. Kátia Sento Sé Mello (UFRJ-INCTInEAC); ksemello@gmail.com

 

Sesión 1: Oralidad, interacciones y moralidades en cuestión / Oralidade, interações e moralidades em questão (martes 1/12/2015) Horario: 8:30 a 12:30

1. Florencia Graziano

Los informes. El pasaje de lo oral e interactivo a lo escrito, em La secretaría tutelar de un juzgado penal de menores en La ciudad de Buenos Aires.

2.  Kátia Sento-Sé Mello

Klever Paulo Leal Filpo

Bárbara G. Lupetti Baptista

Thais Borzino Cordeiro

Percepções iniciais e contrastes entre a mediação no Rio de Janeiro e Buenos Aires

3. Carolina Ciordia

Racionalidades, prácticas y ordenes normativos en los procesos de orientación de niños a la adopción

4. Monique Torres Ferreira

O discurso da lei ou a lei do discurso? Uma etnografia sobre a construção da normatividade na Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro

5. Janaina Dantas Germano Gomes

O judiciário como “linha de montagem”. Percepções de advogados, escreventes judiciais e magistrados sobre seu cotidiano nos fóruns de São Paulo

Sesión 2: Administración de conflictos y producción del orden / Administração de conflitos e produção da orden (martes 1/12/2015) Horario: 13:30 a 17:30

6. Patrícia Silveira de Farias

Um “choque de ordens”: uma análise sobre o controle do espaço público na orla carioca no século XXI.

7. Michel Lobo Toledo Lima

Administração e investigação de Homicídios Dolosos: práticas e classificações jurídico-policiais

8. Clara Rocío Ramos

Familiares contra la impunidad. Subalternidad y estrategias de resistencia en casos de homicidios. Salta, Argentina

9.Marilha Gabriela Reverendo Garau

Entre os discursos da administração de conflitos e da guerra às drogas: uma análise empírica das relações entre a UPP e a comunidade

10. Inés Mancini

Castigos colaterales. Discusiones sobre derechos y problemáticas vinculadas a los niños com un referente preso

 

Sesión 3: La producción social de sujetos y de moralidades. Construcción de demandas, sentidos y categorias jurídicas / A produção social de sujeitos e de moralidades. Construção de demandas, sentidos e categorias jurídicas (miércoles 2/12/2015) Horario: 8:30 a 12:30

11. Soledad Gesteira

El “derecho a saber”: construcción de demandas y acceso a la justicia para personas que quieren conocer sus Orígenes biológicos.

12. Luiz Eduardo Figueira

 Breno Henrique Pires de Seixas

Sentidos de justiça e moralidade: a construção do sujeito moral nos discursos judiciário e jornalístico

13. Clara Lourido

O que há de “social” no parentesco socioafetivo? Um conceito e seus usos nas transformações contemporâneas do direito de família e sucessões brasileiro

 14. Mônica Maria Gusmão Costa

Como a gente faz para colocar juízo nessa cabeça? Paradoxo de moralidades nos julgamentos de adolescentes

15. Izabel Nuñez

O Tribunal do Júri como procedimento especial: como valores morais e moralidades desigualam, em contexto e em ação, réus e vítimas.

Sesión 4: Disputas sobre la seguridad y la justicia: valores morales, selectividades sociales y procesos de producción del orden / Disputas sobre a Segurança e a Justiça: valores morais, seletividades sociais e processos de produção da orden (miércoles 2/12/2015) Horario: 13:30 a 17:30

16. Marcus José da Silva Cardinelli

“A lei é feita para pessoas, não para ladrões”: uma etnografia dos sentidos de justiça e das práticas das fianças na Polícia Civil do Rio de Janeiro

17. Márcio Bonesso 

As políticas de segurança pública no interior de Minas Gerais: a repressão qualificada e a proteção social da juventude das áreas de risco

18. Maria Luisa Scaramella

Sagrados e profanos? O sistema cultural do senso comum na construção de biografias judiciárias no Tribunal do Juri

19. Luiz Antônio Bogo Chies

 Filipe Blank Uarthe

 Rodrigo Gonçalves da Silva

Segregações judiciais através do auxílio-reclusão: regulação, emancipação e cruel compaixão nas decisões dos Tribunais Regionais Federais

20. Adeildo Pereira dos Santos Filho

Ouvidoria como mecanismo de integração social e promoção da cidadania: a Petrobrás e a implantação da lei de acesso à informação

Sesión 5: Clasificaciones institucionales, administración de justicia y derechos / Classificações institucionais, administração de justiça e direitos (jueves 3/12/2015) Horario: 8:30 a 12:30

21. Nuria Luz Alvarez

   Eyal Rajzman

SAP y abuso sexual. Disputas en torno al tratamiento judicial del abuso sexual infantil

22. Laura Victoria Martinez 

Los derechos sociales de niños y niñas migrantes. Contribuciones desde el abordaje etnográfico

23. Raquel Simas Sara Sousa Mendonça

O caso Adelir e o movimento pela humanização do parto: reflexões sobre violência, poder e direito

24. Silvina Laura Fernández

Cuidado y protección. Repercusiones en el Sistema de protección de derechos santafesino

25. Josefina Martínez

      Carla Villalta

Niñez, derechos y burocracias: el abogado del niño en la justicia de família

Sesión 6: Violencia y demandas por la ampliación de derechos. Conflictos y activismo político y legal  / Violência e demandas pela ampliação de direitos. Conflitos e ativismo político e legal (jueves 3/12/2015) Horario: 13:30 a 17:30

26. María Celeste Godoy

Etnografiando un conflicto laboral

27. Verônica Cecilia Morales Ramos

(Instituto de Altos Estudios Nacionales – Centro Nacional de Estrategia para el Derecho al Territorio)

El proceso de transfiguración jurídica en relación al ejercicio de La propiedad colectiva.

28. Lidia Neira Alves Lacerda

Belo Monte, a Grande Guerra: análise do mecanismo de consulta prévia no Estado de Direito

29.Francisca Fernández Droguett

Reflexiones em torno a peritaje cultural e pluralismo jurídico en Chile

30. Cinthya Valéria Nunes Motta Kós

Derechos etnicamente diferenciados: retórica y eficácia legal. Análise da interpretação antropológica e jurídica dos direitos dos povos indígenas

31. Márcia Leitão Pinheiro

Comissão da verdade, escravidão e justiça: articulação e categorias