DETALLE GRUPO DE TRABAJO 118

GT 118. DA AMAZONIA AO RIO DE LA PLATA – IDENTIDADES E CONFLITOS DE POVOS E COMUNIDADES TRADICIONAIS

Coordinadores:

Professora Doutora Rosa Acevedo Marin– Universidade Federal do Pará – UFPA rosaacevedo@hotmail.com. 

Professora Doutora Dina Picotti, Universidade General Sarmiento- Argentina; dpicotti@retina.ar/ dpicotti@gmail.com.

Professora Doutora Cynthia Carvalho Martins, Universidade Estadual do Maranhão – Brasil. martinscynthia@ig.com.br

Comentarista: Prof. Dr. Alfredo Wagner Berno de Almeida. Universidade do Estado do Amazonas, pncaa.uea@gmail.com

 

Sesión 1: Cartografia Social: indígenas, pescadores, quebradeiras de coco e quilombolas em contexto de mobilização. (martes 1/12/2015) Horario: 08:30 às 12:30

1. Zulay Poggi

Cendes (UCV)

Conocimiento tradicional sobre tecnologías de pesca. Conflictos de pescadores en la laguna de Unare-Venezuela

2. Eliana Teles

UFPA

Consciência identitária face aos conflitos socioambientais

3. Raquel Mombelli

Érika Nakazono

PNCSA/UFAM

PNCSA/UEMA

Pescadores artesanais no sul do Brasil: afirmação identitária, saberes ecológicos e reconhecimento de direitos

 

(martes 1/12/2015) Horario: 13:30 às 17:30

4. Cynthia Carvalho Martins

UEMA

O discurso ambiental e as lógicas de preservação de povos e comunidades tradicionais da Amazônia

5. Poliana de Sousa Nascimento

UFPI

A cartografia social dos babaçuais como instrumento de luta política de mulheres quebradeiras de coco babaçu

6. Arival Curica Fermin

UEMA

A formação Socio-Histórico cultural dos indígenas na área urbana da cidade de Tabatinga-Amazonas

Sesión 2: Mobilizações Saberes: práticas religiosas e territorialidades (miércoles 02/12/2015) Horario: 08:30 às 12:30

7. Arydimar Vasconcelos Gaioso

UEMA

(Re) interpretação da historiografia regional: a historia quilombola de mediadores e lideranças quilombolas da região de Caxias-MA

8. Patrícia Maria Portela Nunes

UEMA

 Os chamados Centros de Saberes e as novas estratégias de musealização: a problematização da idéia de museu em experiências implementadas por comunidades quilombolas  

9. Daisy Damasceno Araújo.

UFMA

“Ser quilombola é se reconhecer, ver na pele da gente, no dia a dia da gente e também no passado dos nossos que já foram”: processos organizacionais de identificação em Rio Grande – MA - Brasil.

10. Andréa Cristina Serrão Gonçalves

UEMA

“A terra é da santa”: (Re)configurações identitárias e mobilizações socioculturais como mecanismos de resistência e luta pelo território em Bacabeira-MA

11. Carmo Thum

Marcia Kovalski Ücker

FURG

SMED

Povos Tradicionais: os pomeranos e seus contextos na Serra dos Tapes

 

(miércoles 02/12/2015) Horario: 13:30 às 17:30

12.Maria da Consolação Lucinda

UEMA

Conflitos e Mobilizações em Contextos de Comunidades Tradicionais

13. Prof. Dr. Greilson José de Lima

UEMA

MEMÓRIAS DO SAGRADO: Identidade étnica, agências e políticas de patrimônios

14. Jhullienny Silva Santos

UEMA

Saberes e Conflitos dos Quilombolas do Território de Formoso

15. Tacilvan Alves

UEMA

IDENTIDADE COLETIVA E RELIGIOSIDADE: a construção do território de Itamatatiua em Alcântara

Sesión 3: Projetos governamentais e privados e grupos de povos e comunidades tradicionais (jueves 03/12/2015) Horario: 08:30 às 12:30

16. Benjamin Alvino

de Mesquita

Luis Lima

Poliana Nascimento

Pesquisador do PNCSA/UFMA.

Pesquisador

do Pncsa/EUMA.

pesquisadora

do Pncsa/Uema

A expansão de monocultivos, devastação de áreas agroextrativistas e o papel das quebradeiras de coco babaçu na manutenção de seus territórios.

17. Jurandir Santos

de Novaes

Helciane de Fátima Abreu Araújo

UFPA

UEMA

Estratégias de resistência de quebradeiras de côco no estado do maranhão frente à ação de agentes desestabilizadores da sua existência

18. Barbara de Sousa Cascaes

UEMA

Comunidades tradicionais e reinvindicações face ao estado: por uma inversão da “ordem”

19.Jéssica Maria Barros da Silva

Análise das manifestações culturais do território quilombola bom jesus dos pretos via concepções políticas e práticas tradicionais, como elemento de liberdade na construção das mobilizações desses sujeitos face a interesses privatistas.

(jueves 03/12/2015) Horario: 13:30 às 17:30

20. Enoc Merino Santi

UEMA

País Intercultural y Plurinacional: Sueño o realidad, 23 años después del levantamiento de los pueblos indígenas de la Amazonía Ecuatoriana.

21. Kerlley Diane Silva dos Santos

PPGRNA/UFOPA

Conflitos e direitos na terra indígena cachoeira seca

22. Cliciane Costa

França

UEMA

Conflitos sociais, resistência e mobilizações dos tenetehara da terra indígena pindaré

23. Mônica do Corral

Vieira 

“Histórias Tembé: Sobre narrativas e autoidentificação”